Gestão da Manutenção na indústria de fertilizantes

Neste conteúdo vamos mostrar o quão vantajoso e eficiente pode ser a adoção da gestão da manutenção na indústria de fertilizantes, no objetivo de aumentar a capacidade de produção, reduzir custos e manter a boa imagem da empresa frente à clientes e fornecedores. 

Sabemos que a gestão da manutenção é vital e indispensável para empresas que buscam sucesso, independente do ramo em que atuam. Na indústria de fertilizantes, considerado um ramo bastante pesado, não é diferente. 

Acompanhe a leitura! 

Visão geral do agronegócio brasileiro 

De acordo com dados do Centro de Agronegócios da FGV, o Brasil possui aproximadamente 329 milhões de terras aptas à agricultura, sendo que desse total, 24,3% (80 milhões) são para o cultivo de lavouras anuais e perenes e 52,1% (172 milhões) são pastagens.  

Devido ao clima diversificado, energia solar abundante, chuvas regulares e quase 13% de toda a água doce do planeta, o Brasil possui excelentes condições no desenvolvimento do agronegócio, que é hoje uma das principais potências da economia brasileira. 

Nosso país também é um importante produtor e exportador mundial de produtos agrícolas, sendo o maior produtor mundial de suco de laranja, café, açúcar e o segundo maior produtor de soja em grãos. Ou seja, dizer que o Brasil é o país do Agro, não é nenhum exagero. 

Visão geral da indústria de fertilizantes 

Os fertilizantes são definidos como compostos minerais ou orgânicos que visam suprir as deficiências em substâncias vitais à sobrevivência dos vegetais, aplicados na agricultura, com o intuito de repor a extração realizada pela cultura, bem como aumentar a produtividade. 

Portanto, a indústria de fertilizantes destina-se à fabricação e comercialização de complementos minerais encontrados na terra.  

Os fertilizantes são classificados quanto à natureza da sua composição, à quantidade de nutrientes que o compõem e quanto ao tipo de macronutriente primário que o caracteriza. 

Com este resumo é possível ter uma boa noção da complexidade que é a fabricação destes produtos e o quanto eles podem exigir dos equipamentos e máquinas. 

Gestão da Manutenção: afinal, o que é?

Resumidamente, a gestão da manutenção é o conjunto de técnicas indispensáveis ao funcionamento regular e permanente de máquinas, equipamentos, ferramentas e instalações.  

Esses cuidados envolvem a conservação, a adequação, a restauração, a substituição e a prevenção. Em suma, manutenção é atuar no sistema como um todo, com o objetivo de evitar quebras e/ou paradas na produção, bem como garantir a qualidade planejada dos produtos.  

Além disso, a gestão da manutenção é um meio de prolongar o tempo de uso de um equipamento, assim como o rendimento das atividades cotidianas da indústria de fertilizantes. 

Adoção da manutenção preventiva para aumento da produtividade 

Como o próprio nome diz, a manutenção preventiva é um método de prevenção. Trata-se de seguir um CRONOGRAMA DE MANUTENÇÃO voltado especificamente para evitar possíveis interrupções das atividades causadas por falhas nos aparelhos.  

Desta forma, a manutenção preventiva envolve ações que servem para monitorar o desgaste dos equipamentos, como:  

  • Inspeções de rotina;  
  • Segmento de orientações do fabricante;  
  • Reforma de equipamentos;  
  • Substituição de peças.  

Portanto, é correto dizer que manutenção preventiva, não somente contribui para a redução da deterioração do equipamento, mas também diminui o desgaste físico da mão de obra e contribui com a produção de serviços e produtos de alta qualidade, além de, consequentemente, aumentar a produtividade da empresa. 

Vantagens da gestão da manutenção para indústrias de fertilizantes 

É correto dizer que a gestão da manutenção é o melhor processo para que a indústria garanta a disponibilidade e a confiabilidade dos seus equipamentos, máquinas e instalações a um baixo custo.  

Podemos dizer que os principais benefícios e vantagens da gestão de manutenção são os seguintes:  

  • Eficiência dos equipamentos;  
  • Controle de custos com inatividade da equipe;  
  • Planejamento da manutenção para prevenir acidentes;  
  • Controle da manutenção para evitar imprevistos que parem a produção;  
  • Qualidade na prestação de serviços aos clientes.  

Como resultado, você não perderá mais dinheiro e outros recursos devido a inatividade do processo de produção. 

Lembre-se que gestão da manutenção não é despesa 

Quando falamos em gestão da manutenção em indústrias de fertilizantes, não falamos em despesa e sim, como investimento. 

Sob o mesmo ponto de vista que as empresas prezam pela gestão de pessoas, gestão financeira e gestão empresarial a fim de se adequarem ao mercado, elas também precisam fazer a gestão da manutenção para garantir a entrega de suas demandas e evitar gastos exorbitantes e desnecessários.  

Sem dúvida nenhuma, indústrias que não são adeptas da gestão da manutenção estão sujeitas a imprevistos que vão além dos prejuízos com a mão de obra parada, existem várias ferramentas de trabalho que oferecem riscos à segurança de funcionários e ao meio ambiente.  

Uma parada repentina no sistema de um equipamento pode ferir seriamente um colaborador, podendo até mesmo lhe causar a morte.  

Portanto, a gestão da manutenção tem que ser vista como um INVESTIMENTO que preserva a qualidade da produção, a integridade física dos trabalhadores, e nesse sentido, evita também os danos ao meio ambiente. 

Agora a G2W Engenharia também trabalha com manutenção industrial em indústrias de fertilizantes. Serviço este que demanda muito profissionalismo, e experiência. 

Entre em contato conosco e saiba mais! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *