Descubra por que o cronograma de manutenção é tão importante

Certamente você já sabe que o sucesso de uma empresa ou indústria depende muito da maneira como a manutenção das máquinas e equipamentos é feita. Isso por que com as manutenções programadas, as paradas indesejadas e repentinas da produção são evitadas. Com isso, a empresa se torna mais produtiva, eficiente, segura para seus colaboradores e mais competitiva para o mercado.

Neste conteúdo vamos descobrir por que o cronograma de manutenção é tão importante e como fazer para colocá-lo em prática. Acompanhe a leitura!

Por que é importante investir em manutenção?

Sempre dizemos que manutenção é investimento e não despesa. Afinal, manter o local, os equipamentos e as operações em pleno funcionamento é de extrema importância para garantir o sucesso da indústria. Afinal, quando uma das peças da cadeia produtiva não funciona adequadamente, todos os demais processos são comprometidos.

A manutenção deve ser vista como uma tarefa comum no dia a dia da empresa. Afinal, imprevistos na linha de produção podem ocorrer a qualquer momento. Porém, apesar de comum, esse tipo de problema pode fazer com que o serviço não possa ser oferecido com os mesmos padrões de qualidade, e nem dentro dos prazos estabelecidos, o que pode ocasionar perda de credibilidade com os clientes e perdas financeiras.

Todavia, também é imprescindível considerar que a falta de manutenção pode ocasionar acidentes, colocando em risco a integridade física dos colaboradores.

Do que se trata um cronograma de manutenção?

O cronograma de manutenção funciona como uma espécie de planejamento, no qual constarão todas as informações necessárias para a realização dos reparos para o pleno funcionamento da linha de produção.

Trata-se de um documento que pode variar de acordo com o tipo de operação e processos de cada indústria, porém, todos seguem princípios básicos e geralemnte contam com:

  • descrição completa de cada atividade;
  • definição do responsável ou responsáveis por cada operação;
  • previsão do tempo disponível e necessário para realização da tarefa;
  • tipo de manutenção;
  • nível de criticidade;
  • status de realização: “planejado”, “em realização” ou “pronto”;
  • identificação da atividade e definição do horário que será realizada, para evitar interferências na produção.

Também é importante que no cronograma conste uma coluna para indicar o tipo de materiais e intervenções necessárias, além de um checklist final para garantir que todas as atividades tenham sido cumpridas.

Além de planejar as atividades, o cronograma de manutenção ajuda as equipes de manutenção a entender quais são as suas tarefas. O cronograma também é uma ótima forma para o gestor acompanhar e controlar todas as atividades.

Como montar um cronograma de manutenção?

Como dito anteriormente, cada empresa possui suas particularidades, que devem ser consideradas e adaptadas ao cronograma, conforme a necessidade.

Porém, alguns requisitos são essenciais para um cronograma de manutenção que seja eficaz e previna a necessidade de parar a produção para o conserto de máquinas e equipamentos diversos.

Vamos descobrir quais são?

1- Considere todos os setores da empresa

Ao estabelecer o cronograma, não deixe nenhum setor da empresa de fora. É essencial listar todos os equipamentos que precisarão passar por esse processo. Você já parou para pensar que não se trata apenas das máquinas da produção? No setor administrativo, computadores, smartphones e outros dispositivos móveis, por exemplo, também precisam de manutenções, como verificações de brechas de segurança, formatação, entre outras. Portanto, confira todos os equipamentos envolvidos nos diversos setores e coloque-os na lista.

2- Defina as prioridades

Pergunte-se: quais são os pontos-chave da sua cadeia produtiva? Quais maquinários estão diretamente ligados à entrega final do produtos para o cliente? Certamente estes são os equipamentos que merecem prioridade no momento de estabelecer um cronograma inicial.

Estabeleça quais maquinários serão avaliados por primeiro e quais serão os seguintes.

3- Hora de programar o tempo adequadamente

Estabeleça uma periodicidade para a realização das manutenções preventivas. Isso dependerá de alguns pontos, como:

  • características do tipo de maquinário (alguns demandam manutenções mais recorrentes, outros, mais espaçadas);
  • intensidade do uso (máquinas que sejam mais utilizadas tendem a se desgastar mais recorrentemente);
  • desgaste das peças (peças mais sensíveis tendem a necessitar de mais cuidados recorrentes).

Com esses dados em mãos, você terá mais facilidade de programar o tempo das manutenções.

4- Defina horários adequados para as manutenções

O cronograma de manutenções deve especificar e documentar os horários para a análise e verificação de cada equipamento. Deve-se optar por períodos fora do expediente ou, caso não seja possível, quando há baixa demanda do uso da máquina, de forma a minimizar prejuízos com as paradas ocasionadas pelos reparos.

Lembre-se que dentro de uma produção, o tempo é o principal aliado para garantir agilidade e cumprimento de prazos.

5- Defina os responsáveis pela operação

Determinar, em documento, quais são os responsáveis por cada operação é crucial para identificar a quem os gestores devem recorrer, em casos de não conformidade. Definir quem é responsável pelo que, é importante também para organizar e estabelecer responsabilidades na equipe.

6- Acompanhamento sistêmico

Realize o acompanhamento sistêmico de cada manutenção. Por exemplo, ao identificar um desgaste recorrente de uma peça, que não é regular, é possível avaliar se está ocorrendo uso inadequado do equipamento ou se é necessário trocar todo o maquinário por um mais novo.

POr isso, o documento deve conter:

  • data da manutenção e indicação da provável data do próximo reparo;
  • horário em que foi realizado;
  • quem foi o profissional responsável;
  • quais peças foram utilizadas;
  • quais foram os custos envolvidos no processo;
  • quais foram os problema e possíveis defeitos encontrados;
  • quais os dados de produtividade antes e depois do reparo, para avaliar a eficiência do mesmo.

Todos esses dados são importantes para o relatório, pois ajudarão a tomar decisões futuras a respeito do equipemento.

7- O checklist

A criação de um checklist é indispensável tanto para facilitar o trabalho dos responsáveis pela manutenção preventiva, quanto para garantir que todos os itens citados acima tenham sido cumpridos.

Ter um checklist permite uma visualização mais ágil da situação e auxilia na auxilia na redução de erros na hora de executar a operação.

Conclusão

Um cronograma de manutenção desempenha um papel fundamental no funcionamento dos processos de uma empresa e gera um enorme benefício para todas as áreas envolvidas.

Com ele, é possível evitar problemas e otimizar a vida útil dos equipamentos. Além disso, o cronograma de manutenção ajuda as equipes responsáveis a entender e seguir uma sequência lógica para a realização das atividades.

Resumindo, além de organizar todo o processo, o cronograma de manutenção gera maior confiança, segurança e bons resultados num geral. Assim, o investimento inicial em uma equipe preparada e capacitada, é extremamente relevante.

Conte com a G2W para realizar as manutenções industrias da sua empresa. Possuímos uma equipe com técnicos preparados para executar com qualidade e confiança a manutenção dos seus equipamentos.

E aproveite que está por aqui e leia os conteúdos anteriores em nosso blog. Todos são escritos para auxiliar você nessa jornada da manutenção industrial!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *