Análise RAM: entenda por que ela é a base da manutenção

É inevitável dizer que a análise RAM é a base da manutenção. Com a aplicação da análise RAM é possível impactar positivamente nos lucros da empresa. Isso porque ela interfere diretamente nos gastos com o processo de produção e de manutenção.

Quer entender mais sobre o que é a análise RAM e por que ela é a base da manutenção?

Acompanhe a leitura!

O que é análise RAM?

A análise RAM funciona como o ponto inicial para a engenharia da manutenção, direcionando dados que reúnem mantenabilidade, os princípios de disponibilidade e confiabilidade.

Na prática, os dados são usados de maneira estratégica para evitar falhas nos equipamentos, identificar riscos e eliminar ao máximo possível as chances de paradas da produção. Além disso, a análise RAM traz uma série de benefícios para o financeiro da empresa, já que interfere significativamente nos gastos da produção e da manutenção de modo geral.

Como citamos na introdução, a aplicação da análise RAM traz retorno financeiro positivo para o negócio, pois ela reverbera em todas as áreas da produção e da manutenção.

Desse modo, é essencial que os gestores de manutenção entendam as três bases do conceito de maneira individual para aplicá-las conforme as necessidades específicas:

Confiabilidade

Este primeiro ponto pode ser entendido como a probabilidade de uma determinada máquina ou sistema ser capaz de realizar suas atividades, nas condições que a empresa necessita, durante um determinado período de tempo.

Assim, a confiabilidade indica por quanto tempo determinado equipamento deverá ser capaz de funcionar, trabalhando na capacidade exigida pelo processo de produção.

Para entender os níveis de confiabilidade, é necessário contar com algumas ferramentas:

  • FMEA (Failure Modes and Effects Analisys): Análise dos Modos e Efeitos de Falha. O objetivo desta ferramenta é mapear as possíveis falhas que possam vir a acontecer e quais seriam as causas e consequências dessa falha no processo produtivo;

  • Árvore de Falhas: Essa ferramenta se baseia em uma determinada falha e tenta descobrir suas causas básicas. Para isso, refaz toda a cadeia de eventos que levaram ao acontecimento. É feito um tipo de reconstituição de trás para frente, ou seja, começa com o resultado final e faz o caminho inverso até chegar às causas de cada evento;

  • Diagrama de Blocos de Confiabilidade (RBD): Trata-se de um complemento da árvore de falhas. Esse diagrama mostra a sequência de fatos que levaram a determinado acontecimento. Sendo assim, começa pelas possíveis causas e vai até a falha.

Disponibilidade

Na análise RAM, a disponibilidade trata-se de uma métrica que se refere à quantidade de tempo em que um equipamento esteve disponível para realizar suas funções durante determinado período.

Para calcular a disponibilidade, é preciso conhecer dois indicadores, que são o MTBF (Tempo Médio Entre Falhas) e o MTTR (Tempo Médio de Reparo).

O primeiro indica a média de tempo entre as ocorrências de falhas de determinados equipamentos. Já o segundo, se refere a média da quantidade de tempo gasto para reparar determinados equipamentos.

Sendo assim, a formula é MTBF/(MTBF+MTTR) x 100 = % de disponibilidade.

Mantenabilidade

Esse índice indica a capacidade de cada equipamento de ser mantido ou colocado, após o reparo, nas condições de funcionamento exigidas pelo processo produtivo.

De uma maneira mais simples de entender, essa métrica pode ser definida como a facilidade que a equipe de manutenção encontra ao realizar as suas atividades. Quanto maior for a dificuldade, menor será o nível de mantenabilidade.

Estes são os pontos que devem ser levados em consideração no momento de calcular a mantenabilidade:

  • Condições de acesso da equipe aos pontos de inspeção e reparo;
  • Necessidade de movimentar equipamentos, seja lateralmente ou içando;
  • Conforto ergonômico durante os processos de reparo e inspeção;
  • Layout da distribuição dos equipamentos;
  • Obstruções que uma falha pode causar no processo como um todo.

Concluindo

Ficou claro como a análise RAM é essencial e indispensável para a manutenção?

Dizemos que ela é a base pois ajuda a calcular a probabilidade de um ativo não falhar na operação.

Além disso, esse método funciona como uma espécie de direcionamento para os gestores que desejam identificar quais são os maiores custos e como melhorar a imagem da empresa no mercado ao entregar um serviço de excelência, pela possibilidade de se antecipar aos problemas.

Gostou das informações? Nos conteúdos anteriores do nosso blog tem muito mais. Confira!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *